MINISTÉRIO DO TURISMO E VIPAL APRESENTAM:

Apresentação

Um compasso de espera para a música... Assim como a vida, os planos e a arte,  o Festival de Música precisou esperar, não para ver a banda passar, mas para esperar a pandemia passar.   

A pandemia ainda não passou, e parece que vamos ter que nos acostumar com ela e com outras que virão, cada vez mais cientes do papel da Arte na nossa eterna busca pelo inexplicável, naquilo que transcende a nossa capacidade humana de controlar as coisas.

 Mas essa espera serviu para aumentar a saudade e a nossa responsabilidade de seguir divulgando a música e os artistas em nosso palco. E cá estamos, quatro anos após a última edição de 2017, que colocou Nova Prata no circuito de grandes festivais da música instrumental e autoral, trazendo à Praça da Bandeira nomes como Renato Borghetti, Adrian Bellue, Gabriel Selvage, Quinteto Canjerana, Moio, Trabalhos Espaciais Manuais, Kula Jazz, no embalo do sucesso da nossa edição de 2015, que contou com Quartchêto, Quinteto Persh, Yangos e muito mais, para mais uma vez afirmar a música made in Brasil.

E para a terceira edição, chegamos com a experiência e a trajetória de sucesso do violonista argentino naturalizado brasileiro Lucio Yanel, que encerra a primeira noite de apresentações do festival, com sua música marcada pela forte influência do folclore ‘gaucho´ e latino-americano. O show do Lúcio será precedido por uma parceria inédita, a união do baterista Zé Montenegro e do percussionista Fernando Do Ó. Os dois são amigos de longa data mas nunca subiram ao palco juntos. O show promete ter muito ritmo, trazendo ao palco toda a trajetória musical dos dois. Para abrir essa super noite, a jovialidade do grupo Yangos, que volta ao #fmnp depois do sucesso da sua apresentação em 2015, quando vencedores da mostra paralela. Há seis anos eles já encantaram a todos os presentes com a sua música. Após serem indicados ao Grammy Latino, o grupo volta ao Festival, dessa vez como convidado.

A segunda noite de apresentações conta com o violinista Felipe Karam e seu quarteto. Natural de Porto Alegre, Felipe é bacharel em Violino UFRGS  e   Mestre  em  Music  Performance  pela   City  University London e traz à Nova Prata o seu trabalho autoral que mescla a sua influência do mundo erudito com a improvisação do jazz e toda a ginga do folclore brasileiro. Felipe está divulgando o seu mais novo CD Água de Santo, disponível em todas as plataformas digitais. Ainda neste dia, sobe ao palco o Thayan Martins Quinteto, um grupo formado por jovens mulheres e excelentes instrumentistas, que aborda toda a nuance do chôro e do samba instrumental, com toques de improviso e virtuosismo. A abertura do nosso segundo dia de apresentações fica por conta do Garra e Alma, dueto de violões da mais alta qualidade, prata, ou melhor, ouro da nossa casa, com os músicas Ricardo Frizon e Giovani Chrestani

Assim como nas primeiras edições, o #fmnp preza e continua a dedicar especial atenção às atividades formativas, trazendo conhecimento e dividindo experiências através das suas oficinas. Serão quatro no total: a oficina de Produção Musical, onde serão explorados os conceitos e técnicas de gravação e home estudio, com o premiado músico André Brasil; o workshop - FingerTAB Method - Entendendo o Violão Fingerstyle pela tablatura do violonista passofundense formado pela UPF Jonathas Ferreira, e duas oficinas voltadas para escolas, uma para o Ensino Fundamental, Ritmos do Sul, ministrada pela turma do Yangos, e Uma breve história da Música Brasileira, ministrada por mim e pela profe Deisi Coccaro, voltada aos alunos do Ensino Médio, dividindo o nosso conhecimento com pitadas de música ao vivo.

A Mostra Paralela, atração já tradicional da nossa programação, dessa vez será um pouco diferente. Serão selecionados quatro clipes de grupos e artistas do Rio Grande do Sul como oportunidade de divulgar o seu trabalho autoral ou instrumental pelos canais do festival. Os clipes escolhidos serão transmitidos durante o evento e receberão um prêmio de R$ 500,00.

Toda a programação do festival é gratuita e dessa vez será transmitida ao vivo pelos canais do festival e pela Cubo Play, plataforma de streaming voltada à cultura, em especial à música. E mesmo felizes de podermos nos reunir presencialmente, não deixaremos de lado todos os cuidados que o momento exige: todos os protocolos vigentes de controle à pandemia serão seguidos.

Em 2021, o festival irá prestar homenagem à Irmã Orildes Cremones, importante personalidade da nossa cidade, que tem uma história de dedicação ao ensino musical, especialmente nos instrumentos piano e acordeon e que este ano completou 94 anos de vida.

Registro aqui o meu agradecimento a todos os nossos patrocinadores, que viabilizam a continuidade do festival, bem como ao poder público municipal, através da Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, parceiros desde sempre. Assino com muito orgulho a curadoria do festival, mas divido toda a produção com a minha amiga Liége Biasotto e a sua Cuco Produções. Posso dizer que eu e a Liége assinamos juntos o festival!

Por fim, ansioso por terminar esse compasso de espera e por deixar a música tomar conta na terceira edição do Festival de Música de Nova Prata, que vem com muita resiliência, mais forte do que nunca, e com ganas de seguir divulgando e produzindo a boa música!

Lucas Volpato - Produção e Curadoria


2º Festival 2º Festival

O 2º Festival

A segunda edição do Festival de Música de Nova Prata, acontecu de 22 a 26 de novembro de 2017, em Nova Prata - RS, com entrada franca. Serão cinco dias de muita música, com os convidados Duo de Viola e Acordeon, Jonathas Ferreira, Gabriel Selvage, Quinteto Canjerana, Philipe Philipsen, AUTOMÁKINA - Universo Deslizante e Borghetti.

Buscando divulgar e fomentar a produção musical, o festival promoverá a Mostra Paralela, que selecionou, através de edital,  04 bandas e 02 grupos de música de câmara do estado do RS: Kulla Jazz, Moio, Trabalhos Especiais Manuais, Veña, As Mulheres de Bah! e Ária Trio. Além das apresentações artísticas, o festival contará com uma Mostra Local, com a participação do Coro da AABB, Casa Muscaria, Diego Berquó Trio e Orquestra de Sopros de Nova Prata além de um eixo formativo que oferecerá palestras, bate papos e oficinas, voltado para escolas, professores e artistas da região.

1º Festival 1º Festival

O 1º Festival

A primeira edição do Festival de Música de Nova Prata, aconteceu de 13 a 15 de novembro de 2015. Foram três dias de muita música, com os convidados Quinteto Persch, Quartchêto e Quiçá se Fosse. Buscando divulgar e fomentar a produção musical, o festival promoveu a Mostra Paralela, onde foram selecionadas 05 bandas por edital para compor a programação: Subtropicais, Trem Imperial, Yangos Quarteto Instrumental, Frizon Brothers Band e Sedan 1300. Além das apresentações artísticas, o festival contaou com um eixo formativo, voltado para escolas, professores e artistas da região.